SELEÇÃO

 

Em 1976, a partir dos resultados gerados no primeiro Simpósio de Carcaça da Raça Nelore, realizado na cidade de Bauru interior de São Paulo, que tinha como uma das lideranças envolvidas na organização o pecuarista William Koury, o Nelore Jandaia redirecionou a seleção visando maior funcionalidade. Assim gradativamente as pistas foram deixadas de lado e o projeto passou a ser produção de touros melhoradores à pasto e aumento do rebanho, que atualmente conta com quase 1500 matrizes Nelore PO.

Pioneira em provas de ganho de peso à pasto, iniciadas em 1995, os machos nascidos a partir dessa data passaram a ser avaliados por peso e ganho de peso. Porém o Nelore Jandaia incomodado com alguns campeões de prova serem do biótipo tardio solicitou a visita do departamento técnico da ABCZ – que tinha William Koury como diretor. Assim, no ano de 1998 iniciaram estudos de simulações dos resultados da prova da Fazenda Kuluene incluindo avaliações visuais, sendo que a partir desses resultados deu-se início a implementação da avaliação visual funcional, passando estas a comporem os índices finais das provas de ganho de peso oficializadas pela ABCZ, e, fazendo com que indivíduos tardios, mal conformados ou mal caracterizados fossem penalizados. Mais um marco do pioneirismo do Nelore Jandaia, pois as provas de ganho de peso a pasto passaram a ser muito difundidas no país, assumindo uma das maneiras mais práticas de democratizar e implementar o melhoramento genético nos rebanhos.

Em 1996, na direção do Departamento Técnico da ABCZ, William Koury repetiu o Simpósio de Carcaça de 1976. Desta vez atualizando todos os técnicos da associação, que tiveram a oportunidade de ver pelos rendimentos de carcaça de 56 animais PO abatidos, qual era a tendência de melhor tipo produtivo para o zebu brasileiro.

Mais uma vez na vanguarda do melhoramento genético, a fazenda Kuluene, sob assessoria da brasilcomz – zootecnia tropical, de William Koury Filho, foi a primeira propriedade a adotar a metodologia de avaliação visual EPMURAS, que tem por objetivo identificar e selecionar animais a partir das seguintes características:

Estrutura Corporal (E)
Dá uma boa noção de tamanho e auxilia no “desenho” do biotipo.

Precocidade de Terminação (P)
Importante na identificação de indivíduos de melhor acabamento de gordura, também relacionada a adaptabilidade a pasto e precocidade sexual,  na busca do encurtamento do ciclo de produção,

Musculosidade (M)
Esta intimamente relacionada ao rendimento de carcaça,

Umbigo (U)
Importante em sistemas de produção a pasto que touros tenham o umbigo corrigido e bainha bem direcionada.
Características Raciais (R), Aprumos (A) e Sexualidade (S)
Importantes na seleção por funcionalidade e padrão racial.

Além da avaliação visual dos animais a desmama e sobreano, os mesmos são mensurados em: perímetro escrotal com objetivo de identificar e selecionar aqueles indivíduos de maior perímetro escrotal, pois tal característica possui correlação genética positiva com ganho de peso e precocidade sexual, além disso, todos os reprodutores comercializados possuem exame andrológico e garantia de fertilidade; altura de posterior que identifica no indivíduo e nos reprodutores diferentes frames, que variam de pequeno, mediano até grande com objetivo de selecionar animais medianos e equilibrados, pois são estes os mais produtivos.

O rebanho ainda é pesado de três em três meses, desde os 120, até os 550 dias de idade, fazendo parte do Programa de Melhoramento Genético da Raça Nelore – o Nelore Brasil conhecido como antigo programa da USP, hoje gerido pela Associação Nacional de Criadores e pesquisadores, ANCP.

Descarta-se todos os animais com temperamento indesejável e as vacas que não têm capacidade de desmamar um bezerro pesado, acreditando que, depois de fertilidade, habilidade materna é uma das características mais importantes para uma matriz.

Os acasalamentos são dirigidos por lote, em monta natural com os touros que se destacam nos critérios de seleção adotados, e individualmente com a utilização de inseminação artificial, utilizando sêmen dos raçadores mais expressivos nas avaliações genéticas e, que transmitam características morfológicas funcionais, econômicas e raciais de acordo com nossos objetivos de seleção que é fazer um gado PO “grosso”, no sentido de musculoso e precoce.  

O Resultado desse trabalho são matrizes e reprodutores que possibilitam ganho genético e conseqüentemente retorno financeiro aos pecuaristas que investirem na aquisição de indivíduos com a marca Jandaia, sinônimo de precocidade à pasto.