HISTÓRIA

 

Em 2014 o Nelore Jandaia completa 50 anos de intenso trabalho dedicado à seleção morfológica funcional, características econômicas relacionadas à carcaça, peso, habilidade materna, temperamento e padrão racial.

A vocação nata do pecuarista William Koury, como selecionador, encontrou oportunidade para se desenvolver no ano de 1965 com a aquisição de 74 bezerras Nelore PO oriundas de dois expressivos criatórios do estado de São Paulo, juntamente com a compra de dois machos, filhos dos genearcas importados em 1962 Rastã e Karvadi. Esses fatos marcaram o início da trajetória do Nelore Jandaia.

Um dos machos, Dumu, rapidamente ganhou fama entre os criadores, sagrando-se Grande Campeão Nacional em 1970. Dumu é pai de Gim de Garça e avô de Ludy de Garça, uma das linhagens mais destacadas no Nelore brasileiro. E foi o raçador Dumu responsável por boa parte da base genética do rebanho Nelore Jandaia. Esse touro apresentava carcaça volumosa e precoce, com características funcionais evidentes e rara beleza racial.

Dos acasalamentos com Dumu, nasceram vários campeões e campeãs de pista, fato que projetou o Nelore Jandaia no cenário nacional.

Em 1976, a partir dos resultados gerados no primeiro Simpósio de Carcaça da Raça Nelore, realizado na cidade de Bauru interior de São Paulo, que tinha como uma das lideranças envolvidas na organização o pecuarista William Koury e corpo técnico sob responsabilidade de nomes como Dr. Fausto Pereira Lima e Dr. Pedro Eduardo de Felício, o Nelore Jandaia redirecionou a seleção visando maior funcionalidade. Assim gradativamente as pistas foram deixadas de lado e o projeto passou a ser o aumento do rebanho e produção de touros melhoradores à pasto.